Às vezes eu sinto como se eu não tivesse aprendido nada desde os 19 anos

– Sabe, eu sei que não é só uma questão de ego… Eu sei que a gente tem alguma coisa que – e eu não sou místico – combinou. Então eu to deixando uma brasa acesa pq cara, você é alguem que vale a pena conhecer mais, saber mais, mesmo que ao momento da cortina fechar e a gente tenha que voltar pra realidade, eu ainda esteja aqui, você ainda aí, você ainda esteja namorando, e nossas vidas ainda estejam separadas. Por algum motivo eu ainda gosto de ter dentro da minha cabeça uma ilusão.
– Eu poderia ter escrito exatamente isso.
– É só isso, uma ilusão…
– Para…

 

Eu não sou especial de nada, não há nada me aguardando e ninguém virá do Mistério um dia para me raptar. Ninguém irá me apresentar a minha pressentida, clara e distinta vida; minha vocação. Esta que, a propósito, não está neste mundo. Ninguém virá reparar o erro.
É até bonito que eu, por tanto tempo, tenha procurado algo que sentir a respeito disto. Que tenha afinado tanto as antenas.

Miga

miga,

eu só tenho a agradecer pelos tempos incríveis em que estamos aproveitando nossa solteirice. Nossos vinte e poucos anos, nossas infindáveis piadas e nosso joie de vivre.

quando penso o quão mais difíceis teriam sido os tempos difíceis que passei se nao tivesse você ao meu lado, conseguindo me ajudar a organizar a bagunça que é a minha cabeça, fico apenas satisfeito de, um dia, você ter voltado pra mim.

que toda nossa historia seja esse eterno mar de lembranças formidáveis e brindes a nossa (a partir de agora) eterna companhia.

te amo, miga.

wp_20151229_11_45_12_pro

El caminito

A pureza dos meus sentimentos

Eu certamente já questionei a sinceridade dos meus pensamentos. No entanto, posso dizer que minha cabeça é quase sempre verdadeira quanto aos seus sentimentos.

Fico relendo aqui uns rabiscos, uns posts antigos nunca publicados (um dia os publicarei), e percebo o quão melancólico eu sou, quanto esses sentimentos e pesares são tão comuns nas minhas reflexões.

Cada escrito meu é como se fosse um cartão postal antigo, apagado, de uma viagem de que ninguém nem se lembra mais, escrito pra alguém que nem é mais presente. Fica esse ar pesado na sala, cheirando cigarro, essa meia-luz patética fingindo ser cool, pagando de ermitão dos próprios pensamentos.

 

Me dá vontade de rasgar todos, mas quem sou eu senão essa imagem que eu tento passar de mim mesmo?

**

Eu adoro seus cabelos grisalhos. Cabelos grisalhos.

Boa noite.

Ciclo

Eu não escrevo mais aqui. Estava escrevendo no diarinho, fazendo as anotações básicas, desses rabiscos básicos que sinto a necessidade desde sempre de fazer. Mas também parei. Um espectro me mandou parar. Em compensação, um anjo me mandou voltar.

dulacwheel

Quero voltar, mas não consigo. Vamos tentar novamente.

Há um texto meu de anos atrás que é atualíssimo, pode muito bem ser usado pra representar esse momento que vivo hoje. O texto é esse aqui. Certas situações me assustaram muito, como elas esquisitamente reaconteceram.