Ordinary day

Passei no supermercado, comprei uma Heineken. Sentei na sacada, acendi um cigarro e olhei todo mundo lá embaixo continuar com suas vidas. A minha tinha entrado num mini-hiato pra olhar as alheias. Aí eu olhei pra minha. Tomei a Heineken, tava muito calor. Fumei o último cigarro e entrei de volta. Na sala, tinha um sapato branco que a Bárbara esqueceu por lá. Nem tinha visto ele. Pisei em cima dele, escorreguei. Tentei me equilibrar, tentei me apoiar na mesa mas me desequilibrei mais ainda. Bati a cabeça na parede, e doeu muito. Sentei no sofá, pus a mão na cabeça, tava sangrando. Pouco, mas eu me assustei muito com aquilo. Corri pro chuveiro pra lavar. Fiquei um tempão, lá, embaixo da água. Tava muito calor, e aquela água gelada não podia vir em hora melhor. Depois de me enxugar, peguei um pouco de gelo, coloquei numa toalha e fiquei segurando na cabeça. Deitei na cama com a compressa na cabeça. Descansei um pouco. Minha vida não estava realmente num hiato.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s